segunda-feira, 31 de agosto de 2009

AME!






"Os seguintes mandamentos: " Não cometa adultério, não mate, não roube, não cobice" - esses e ainda outros mais são resumidos num mandamento só: "Ame os outros como você ama a você mesmo." Quem ama os outros não faz mal a eles. Portanto, amar é obedecer a toda a lei. Vocês precisam fazer todas essas coisas porque sabem em que tempo nós estamos vivendo; chegou a hora de vocês acordarem, pois o momento de sermos salvos está mais perto agora do que quando começamos a crer."
Romanos 13:9-11 (NTLH)


Somos cercados de práticas e costumes do mundo: adultério, assassinato, roubo, inveja. Entre muitos outros que conhecemos e na maioria deles, somos impostos à seguí-los. Mas esses atos são pertencentes do mundo, e não de Cristo. Os segure quem ainda pertence ao mundo. E nós, ainda vivemos no mundo ou Naquele que morreu por nós?! Pois não há como viver em Cristo e no pecado. (Rm 6:2)

Se nos decidimos a viver em Cristo, que sigamos, acima de todos, um mandamento: "Ame os outros como você ama a você mesmo."

Amar a família é simples, natural. Amar amigos de anos ou de certa intimidade também, por ser um sentimento natural, não exige de nós esforço, e boa vontade para tê-lo.
Mas o amor que o Pai espera de nós é maior e diferente de amor familiar, intimo ou de qualquer amor do mundo, mas sim um amor verdadeiro, que venha a fluir do nosso coração, de dentro para fora, e não como uma máscara que a colocamos e a tiramos a qualquer hora.

Receber dons é maravilhoso: anunciar a mensagem de Deus, falar em línguas, cantar louvores. Mas nenhum dom tem valor quando não é usado com amor. Sem amor, suas palavras, seu louvor, e sua mensagem se perdem com vento, mas com amor elas permanecem no coração de quem alcançar. (1Co 13:1-13)

Se queremos, de fato, estar unidos com Cristo, devemos viver como Ele viveu, e Ele era a maior expressão do amor! (1Jo 2:6)

"Chegou a hora de vocês acordarem, pois o momento de sermos salvos está mais perto agora do que quando começamos a crer."



PARA PENSAR:
- Tenho amado só em palavras, ou isso flui do meu coração?
- Tenho dado mais importância aos dons que recebi ou ao amor que coloco sobre eles?


Siga o Caminho.
Liége.

2 comentários:

Grace Kelly disse...

O amor tornou-se um romance nos dias de hj, algo meio q inalcansável. Sempre q ouvimos essa palavra ligamos a filmes, músicas, uma utopia. Só q ele é mais acessível do q imaginamos, o lance é q esse amor não vem da gente, não temos essa capacidade, somos humanos egoístas por natureza, só o Pai pode trazê-lo para nossas vidas. Então, se não criamos intimidade com Ele não temos amor, e vice-e-versa, se não amamos os homens, não amamos Deus tbem... eles crescem juntos! E quando tivermos o amor dEle... as pessoas serão alcançadas.

M. Gilliard Paes disse...

Acho que voltamos a idéia do vídeo de Rob Bell, postado pela Raquel, de que amamos a Deus através do nosso amor ao ser humano ( troquei "o próximo" ou "nossos irmãos"; o primeiro porque já é uma expressão bem 'batida', um tipo de clichê; o segundo porque o mandamento de amar não foi restrito apenas aos "irmãos" mas a toda a humanidade).

M. Scoot Peck, um psiquiatra renomado, tentou encontrar uma definição para a palavra amor, ele encontrou uma que se encaixa bem com o amor ensinado por Cristo: "O amor é o que o amor faz". O amor não é uma emoção; o amor é uma decisão que leva a uma atitude. Se esperarmos sentir amor para agir em amor nosso amor será inconstante,passageiro, pois assim também são as emoções.
A decisão de amar envolve sim emoções fortes, como Jesus no Getsemani, mas a atitude em amor se desvincula da emoção, muitas vezes para além da razão, se torna um compromisso com quem se ama.

Tomar a decisão de amar, pelo menos pra mim, parece envolver uma visão profunda da dignidade humana, começando pelo amor e conhecimento próprios que levam ao amor aos outros; de "dentro pra fora". Essa metanóia é uma benção que o Mestre nos concede através de seu Espírito.

Pesquisar